terça-feira, 24 de abril de 2012

Alegrias e Frustrações

Incrível como tudo muda na vida de uma mulher quando ela se torna mãe. Mas quando eu falo mãe, não é simplesmente parir um ser. Eu falo mãe de verdade, mãe que cuida e se preocupa com seu filho, mãe que cria, que vive os momentos de alegria e tristezas na vida de um filho. Porque colocar uma criança no mundo e deixar a criação e educação na mão da babá, da avó, da creche é muito fácil. Mas participar é muito difícil.

Não estou dizendo com isso que mãe não tem que trabalhar fora ou que não deve colocar o filho na creche. Muito pelo contrário, meu filho tem 2 anos, eu trabalho fora, e ele passa a maior parte do tempo com a babá, mas eu faço questão de participar de tudo que acontece com ele. Eu defino cardápio, tento almoçar em casa todos os dias, quando chego em casa morta de cansada, procuro forças para brincar com ele, conversar, invento brincadeiras, conto estórias, final de semana dispenso a babá para fazer tudo com ele. Claro que tem dias que eu não estou tão disposta e perco a paciência. E é justamente isso que gera as minhas alegrias e frustrações.

É tão gostoso chegar em casa e receber um sorriso, um abraço, um "eu te amo, mamãe", ouvir as palavras novas faladas de forma engraçada, as descobertas diárias e o amor que nosso filho tem para nos dar. Mas é tão frustrante você ensinar todos os dias que ele deve fazer cocô e xixi no piniquinho e, de repente, ele tira a cueca e faz cocô no sofá ou você explicar milhões de vezes que precisa escovar os dentes e ele simplesmente torna esse momento uma guerra. Que ódio!! Como um sentimento pode se transformar tão rápido? Na mesma hora em que ele é tão fofo e amado, você tem vontade de matar rsrsrs

Mas no fim, tudo volta ao normal e ele volta a ser aquele coisinha fofa e amada que diz "eu te amo, mamãe", abre um sorriso e corre para te abraçar. Que loucura esse lance de ser mãe, viu! É um turbilhão de sentimentos e obrigações que passam a fazer parte da sua vida de uma hora para outra e não tem como desistir. E quem disse que você vai querer desistir?

Nenhum comentário:

Postar um comentário